Doutrina Espirita

Aqui quem quiser encontrará situações sobre a Doutrina Espírita,baseada em Doutrina - Filosofia e Religião; além de estudo, conceitos de grandes vultos que passaram pela vida material, que abraçaram a Doutina Espírita e por psicografia trazem alento para o nosso dia-a-dia, nos mostrando que a vida material não é única, mas a Vida Espiritual de onde vimos e para onde vamos é a principal.

Wednesday, April 12, 2006

Menssagem Lida em 13/04/2006


CENTRO ESPÍRITA LÉON DENIS.


Mensagem para 19.º Encontro Espírita sobre A Vida e a Obra de Leon Denis.


Espaços e mundos! Que maravilha nos reservais?

Imensidões siderais, profundezas sem limites, dais a impressão da majestade divina. Em vós, por toda a parte e sempre, esta à harmonia, o esplendor, a beleza! Diante de vós, todos os orgulhos caem, todas as glórias vãs se dissipam. Aqui, percorrendo suas órbitas imensas, estão astros de fogo dos qual nosso Sol é apenas uma pálida tocha. Cada um deles arrasta atrás de si um imponente cortejo de esferas que são outros tantos teatros da evolução. Lá, como na Terra, seres sensíveis vivem, amam, choram.

Todas essas estrelas parecem nos sorrir, como amigas esquecidas. Seus mistérios nos atraem. Sentimos que elas são a heranças que Deus nos reserva. Mais tarde, nos séculos futuros, conheceremos essas maravilhas que nosso pensamento apenas faz aflorar. Percorreremos esse infinito que a palavra não pode descrever uma língua limitada. Sem dúvida, há, nessa ascensão, degraus tão numerosos que não podemos contá-los; mas nossos guias nos ajudarão a subi-los, ensinando-nos a soletrar as letras de ouro e de fogo, a divina linguagem da luz e do amor. Então, o tempo não terá mais medida para nós. As distâncias não existirão mais. Não pensaremos mais nos caminhos obscuros, tortuosos, escarpados, que tivemos seguido no passado, e aspiraremos as alegrias serenas dos seres que nos tiverem precedido e que traçam, através de jatos de luz, nossa estrada sem fim. Os mundos em que tivermos vivido terão se dissipado; eles não serão mais do que poeira e detritos, porém guardaremos a deliciosa impressão das felicidades colhidas nas suas superfícies, efusões do coração que começaram a nos unir as outras almas irmãs. Conservaremos a cara e dolorosa lembrança dos males partilhados, e não seremos mais separados daqueles que temos amado, pois os laços entre as almas são como os que existem entre as estrelas. Através dos séculos e dos lugares celestes, subiremos juntos para Deus, o grande foco de amor que atrai todas as criaturas!

Leon Denis.

Livro: O Grande Enigma, cap. X, 2. ª parte.
Edições Leon Denis.

Augusto Rezende

1 Comments:

  • At 9:19 PM, Blogger Vera Lúcia said…

    Poeta Rezende! Como vai? Por onde tens andado?. Saudades :-) Bjs 1000

     

Post a Comment

<< Home